AgendaPróximos eventos

02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul
16.10.17
Categorias: Entrevista; Revista; The Vamps

The Vamps fala sobre coisas que gostam para a Closer Magazine

Por The Vamps Brasil Compartilhe já em:

Ao visitar Paris, The Vamps encontrou um pouco de tempo em sua agenda sobrecarregada para responder às nossas perguntas (mesmo as mais indiscretas!) Conheça Bradley, James, Connor e Tristan, quatro meninos esculpidos no pop-rock!

The Vamps é uma banda britânica de pop rock com quatro membros: Bradley Simpson (cantor principal, guitarrista); James McVey (guitarrista, segunda voz); Connor Ball (baixista, segunda voz) e Tristan Evans (baterista, segunda voz). Eles se conheceram através do YouTube. O grupo começou assim a abrir para muitos artistas, como Taylor Swift em Londres, e The Wanted. A Close Magazine teve a chance de conhecê-los durante a divulgação de seu último álbum Night & Day.

Qual é a primeira coisa que vocês fazem pela manhã quando acordam?

Bradley: Olho meu celular; sou viciado em redes sociais, todos nós na verdade.

Connor: Me espreguiço.

James: eu também gosto de me espreguiçar. De manhã, sou como um gato de verdade!

Tristan: vou comer.

Qual é a coisa mais estranha que vocês fazem na turnê?

B: Eu não sei se é estranho, mas em turnê, sempre tenho uma pote de mel na minha mala. É bom para as cordas vocais.

J: Eu carrego muitas vitaminas em comprimidos.

C:  Um Ouija board. É uma espécie de tábua de madeira em que são colocadas letras, figuras e palavras. Ela serve para se comunicar com os espíritos.

T: Meu luxuoso “Animal”, (do Muppet show que fica na bateria dele) nunca me deixa.

Algo que vocês gostem?

J: Os meus dedos torcidos.

B: Meu trabalho. Tenho a sorte de poder viver da música.

C: Nada.

T: Eu diria minhas mãos. Não é o que acham em casa, mas é a parte do meu corpo em que recebo os maiores elogios.

E o que vocês não gostam?

J: Minhas pernas. São muito finas.

T: Meu nariz. Eu quebrei jogando futebol quando eu era criança.

C: Espinhas que as vezes tenho no rosto.

B: Meus joelhos. Às vezes, quando eu me ajoelho, eles machucam.

Vocês têm um ritual antes de subir no palco?

B: Nós esfregamos o queixo um contra o outro. E eu verifico se os meus cadarços estão bem amarrados. Uma queda pode vir…

J: Verifico se meu zíper está fechado.

C: Coloco meu cinto. Eu não quero perder minhas calças no palco.

Do que vocês têm medo?

J: Oh, de morrer…

B: Vespas. Não sou alérgico, mas a última vez que fui mordido, me machucou.

T: Coisas paranormais.

C: De acordar e descobrir que minha vida, banda, tudo isso, era um sonho.