AgendaPróximos eventos

02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul
27.11.16
Categorias: Entrevista; The Vamps; Vídeo

The Vamps fala sobre a nova era da banda para o quadro #ChartShowChat

Por Paula Sales Compartilhe já em:

No último dia 17, Stefanie Faleo, apresentadora do quadro #ChartShowChat, falou com a The Vamps e publicou o vídeo da entrevista no seu canal do YouTube. Confira o vídeo e a tradução completa abaixo:

Não são muitas pessoas que performam em arenas esgotadas, que têm 5 singles no top 10 e que fazem parcerias com estrelas mundiais, mas esses caras definitivamente conseguem. Fazendo sua volta com o DJ Matoma, por favor, recebam Brad, James, Tristan e Connor conhecidos como The Vamps também.

Brad: “Olá.”

Olá meninos, como vocês estão?

Tristan: “É bom estar de volta.”

É bom estar de volta, vocês cresceram tanto também…

Brad: “Bom, já faz um tempo…”

Vocês acreditam que já faz um bom tempo desde nossa última conversa? Porque aquela conversa foi em 2013… que loucura.

Tristan: “Sério?”

Brad: “Meu Deus, foi há um bom tempo…”

Então meninos… vamos apresentar vocês para os novos fãs que querem saber sobre vocês.

Brad: “Sou o Brad, tenho 18 anos, sou de Birmingham e sou guitarrista e vocalista principal.”

James: “Sou o James, tenho 19 anos, toco guitarra e faço backing vocals.”

Connor: “Sou o Connor, tenho 17 anos, toco baixo e sou de Birmingham.”

Tristan: “Sou o Tristan, acabei de fazer 19 anos, sou de Exeter, Devontoco bateria e faço backing vocals na The Vamps.”

Aquela foi a primeira entrevista de vocês na televisão, não foi?

Brad: “Sim.”

Tristan: “Foi sim.”

Connor: “Foi.”

Tenho a primeira entrevista exclusiva da The Vamps em um programa de televisão.

Tristan: “Sim.”

4 anos se passaram e vocês literalmente não pararam. Vocês têm se beliscado?

Brad: “Definitivamente sim, acho que o livro foi para nos beliscar. Foi muito estranho, mas tipo… acho que toda vez que vamos para um novo lugar ou que experimentamos reações de pessoas diferentes para com nossa nova música é realmente um beliscão. Recentemente fomos para a Índia e tivemos uma reação bem legal lá, vários fãs foram nos ver no aeroporto e ainda fico meio “meu Deus, estamos na Índia, todos esses fãs nos apoiam e antes nunca estivemos aqui.”, então… ainda estamos curtindo bastante toda a coisa.”

Legal e parece que vocês ainda estão curtindo e que vocês ainda têm muita energia e temos que falar sobre seu novo single “All Night”… absolutamente amei esse single e ainda vou acrescentar que essa é minha música preferida da The Vamps.

Connor: “Obrigado.”

Sinto que é um lado mais maduro de vocês quatro, é isso mesmo?

Brad: “Talvez sim…”

Tristan: “Obviamente, tem um toque do Matoma nisso. Tínhamos a base e os ossos da música, então o Matoma veio e deixou ela mais dançante, o que amamos e o que nos deixou muito felizes com o produto final.”

Nesse ano mais cedo, o DJ Matoma esteve aqui, o que foi incrível. Como isso aconteceu entre vocês e o Matoma?

Brad: “Originalmente tínhamos a música e estávamos trabalhando nela com diferentes produtores. Meio que terminamos ela como ela estava, mas ainda estávamos com a necessidade de colocar a identidade dos produtores nela, então foi meio que um encontro de dois mundos e queríamos fazer uma música dançante também, então… simplesmente enviamos a música para ele e perguntamos “o que você acha?” para ele, aí ele nos deu um retorno e na primeira vez que ouvimos a música ficamos tipo “é exatamente isso que estamos procurando”.”

Isso é tão legal. Para quem pela primeira vez vocês mostraram o single? Quando estava tudo pronto e quando vocês estavam tipo “sim, esse vai ser nosso próximo single.”?

James: “Mostrei para…”

Tristan: “Mostrei para meu pai…”

James: “Seu pai?”

Tristan: “Sim… ele amou.”

James: “Brooklyn Beckham, bem aleatoriamente. Quando estávamos juntos mandei o mix para ele e ele imediatamente amou a música.”

Você mandou para seus pais?

Connor: “Mandei, mandei…”

Brad: “É… mostrei para meu pai e para minha mãe.”

Sempre é bom ter essa aprovação.

Brad: “É, mas às vezes eles são meio mentirosos… eles ficam tipo “amei, amei.”.”

O que vocês iam fazer se eles ficassem tipo “hm, não temos tanta certeza sobre esse…”?

Tristan: “Ia ser bom.”

Pais, sejam honestos, se vocês não gostarem digam à eles.

Tristan: “Exatamente.”

Mas… eles não podem não gostar desse, porque ele é incrivelmente demais. Vocês estão querendo levar o Army ou as Vampettes para o mundo da dança?

Brad: “Ia ser divertido, juntem-se a nós… Sim, elas são mais que bem-vindas. É que… somos grandes fãs e no momento, especialmente do jeito que a indústria está indo, para nós como uma banda é meio que animador ver como uma banda pode ter influências mais dançantes.”

Vocês sentem um novo ar para a The Vamps?

James: “Talvez…”

Tristan: “É, acho que sim. Quero dizer, agora obviamente estamos mais velhos e temos tido algumas experiências por trás do estúdio e por trás das nossas vidas, então temos que colocar essas experiências no que fazemos com a The Vamps dentro dos novos shows e dentro das novas músicas. Esperamos melhorar, quero dizer, esperamos continuar divertidos.”

Brad: “É, agora estamos chatos.”

Tristan: “Estamos simplesmente vivendo nosso sonho.”

Nós do #ChartShowChat sempre gostamos dos seus clipes, eles sempre são tão divertidos e sempre tem tanta coisa acontecendo… o que vocês podem nos falar desse novo clipe?

James: “Esse é de um ponto de vista, então… quando filmamos todos nós colocamos grandes câmeras em nossas cabeças.”

Incrível…

Brad: “Não precisamos de um camera-man. Tinha um lá, mas o dia todo fomos nós.”

Só por precaução… isso é legal. Vocês ainda curtem gravar clipes? Porque agora vocês estão gravando alguns…

Tristan: “Sim…”

Brad: “Sim, especialmente com novas músicas, porque temos toda essa animação com as novas músicas que estamos criando e é meio que um processo bem legal ver até onde podemos ir em termos de clipes.”

Ouvi dizer, não sei se é verdade… James, me dê uma mão… Brooklyn Beckham está envolvido no novo álbum?

Tristan: “Ah não…”

Isso é verdade ou isso é algo que foi tirado do contexto?

James: “Faz uns 9 meses que falamos disso como uma brincadeira. Não, ele não está envolvido, mas quem sabe… talvez um dia…”

O irmão dele é músico, não é?

James: “Ele genuinamente é, então talvez o irmão dele…”

Talvez o irmão dele possa tocar guitarra ou alguma coisa do tipo…

James: “Talvez…”

Ou ele pode cantar.

James: “É, ele é um cantor, ele é um cantor.”

Vamos falar sobre esse álbum. Agora vocês estão trabalhando nele, não estão? Até agora o que vocês podem nos dizer sobre o processo?

Brad: “Todo o processo tem sido bem legal. Fizemos uma boa parte em L.A. e um pouco em casa em todos nossos estúdios, então sim, até agora tem sido bem legal.”

Legal. Até agora vocês têm 2 álbuns de sucesso e o 3º álbum está a caminho. Isso fica mais fácil?

James: “Acho que em alguns pontos isso fica mais difícil, porque se trata de tentar manter o que você está fazendo relevante para o mundo e em alguns pontos fica mais fácil, porque somos sortudos por termos fãs que nos apoiam quando um single ou quando um álbum é lançado, mas é difícil tentar fazer alguma coisa muito diferente.”

Sei que vocês compõem muitas músicas antes de vocês escolherem essas músicas. Quantas vocês já compuseram para esse álbum? Vocês sabem?

James: “40…”

Brad: “34…”

James: “34…”

Uau. Quando vocês se aproximam do dia do lançamento vocês sentam tipo “temos que diminuir para 12 músicas” ou é mais que isso? Como isso funciona?

Brad: “Meio que fazemos isso no decorrer também e quando tem uma que todo mundo gosta ficamos tipo “é, amamos essa, essa vai estar no álbum.”.”

Legal. Connor, nesse álbum você vai estar envolvido com o cantar também? Gosto dos gritos e das batidas.

Connor: “Nesse álbum talvez tenha mais gritos.”

James: “Dança com gritos.”

Connor: “Mas ao vivo todos nós meio que gostamos de checar as coisas.”

Se envolverem… é, gosto disso na banda de vocês, vocês sempre estão envolvidos com as coisas de vocês.

Connor: “É… obrigado.”

Não consigo acreditar que vocês já fizeram 5 turnês não apenas no Reino Unido, mas na Ásia, na Europa e na América do Norte também. Qual é a melhor coisa sobre estar na estrada?

James: “Acho que ir para novos países e tocar para fãs que têm nos apoiado há tipo que 3 anos. É legal finalmente chegar até eles e poder fazer shows para eles.”

Tristan: “Os encontros também, porque eles estão do outro lado do mundo e isso é louco, porque você os vê tweetando e então você os vê pessoalmente. É realmente bem legal.”

Uau e por outro lado qual vocês diriam que é a coisa mais difícil sobre estar na estrada?

Tristan: “Comida.”

Connor: “Ia dizer comida também.”

Tristan: “Especialmente na Europa, é difícil conseguir… não sou saudável, mas comida saudável.”

Connor: “Apenas baguetes de queijo em todos os lugares…”

Brad: “Pães.”

Tristan: “Sim, literalmente apenas baguetes.”

Sério? Então o que vocês fazem?

James: “Tento não comer.”

Brad: “Voltamos 4 toneladas mais magros.”

Estava me perguntando por que você parece mais magro… estou brincando. Vocês anunciaram uma turnê grande em 2017 pelo Reino Unido, a qual os fãs estão muito animados. A turnê anterior de vocês foi gigantesca, então como vocês vão fazer em 2017? Tipo, vocês vão fazer maior e melhor?

Brad: “Grandes telões de LED…”

James: “Grandes rampas…”

Brad: “Nosso empresário basicamente ama rampas. Em toda turnê o plano é tentarmos nos conectar com o público o máximo possível, porque isso faz toda a experiência ser bem melhor para nós e para eles. Vamos ter outro palco grande que vai ficar no fundo e duas rampas grandes que vão atravessar esse palco, então essa é a vibe… dedos cruzados, vamos fazer a arena parecer menor.”

É, isso soa tão bem. Alguns membros do #ChartShowChat foram na turnê de vocês e eles disseram que seus fãs foram insanos e que a gritaria na arena foi algo a mais. Como vocês lidam com esse nível de barulho?

Tristan: “Protetores de ouvido. Eles ajudam bastante, mas é bom, amamos… amamos ouvir a plateia.”

Amo a energia, os sorrisos, a animação, a felicidade…

Tristan: “Sim, é maravilhoso.”

Vocês têm uma fã-base legal, todos eles são tão legais e tão doces.

Tristan: “E quando eles cantam de volta para a gente…”

É, quando eles cantam de volta é uma gritaria… amo isso, acho isso ótimo e gostei da oferta dos ingressos para seus fãs, essa é uma coisa tão legal de se fazer e é meio que uma retribuição para eles.

Brad: “É, acho que para nós a razão principal é que quando éramos mais novos éramos grandes fãs de bandas e queríamos ir nos shows com a maior frequência possível, mas quando era muito caro ficava difícil e recentemente shows têm sido muito caros, o que é uma droga, então se pudermos deixar os ingressos com o menor valor possível significa que todo mundo vai ter a oportunidade de ir a um show… sempre vamos a shows e para algumas pessoas isso é como um escape, então você pode se juntar à diversão da The Vamps com o menor custo possível.”

Isso é tão doce, meninos, por isso amo vocês mais ainda. Vocês trabalharam com Shawn Mendes quando ele estava começando a carreira dele e agora que ele é uma grande super-estrela deve ser bem legal estar com ele desde o começo.

Brad: “Sim.”

James: “Sim, é legal ver ele crescendo e se desenvolvendo. Na primeira vez que fizemos uma turnê pela América a gente abria shows e ele abria shows também e foi bem legal já que passamos muito tempo no backstage. Na verdade foi estranho, porque naquela turnê ele estava fazendo músicas com um outro cara, naquela turnê eles fizeram “Stitches” e todos os outros singles, então sim, sentimos que desde o começo estamos com ele.”

Brad: “Almoçamos com o chefe da gravadora dele, éramos bem próximos dele e ele tocou algumas músicas dele… não consigo lembrar o nome, mas é a última música do álbum que ele fala…”

Ah, amo essa, é bem positiva e é bem poderosa.

Brad: “É, então é legal ver ele se transformando no artista que ele quer ser.”

É, ele é incrível, amo Shawn Mendes. Agora, fora à música, vocês têm interesses fora da banda, então ano que vem vamos ter novidades da The Vamps?

James: “Hm, bom… temos nosso livro, então talvez podemos começar a escrever livros…”

Connor: “James está escrevendo um livro.”

Você está?

James: “Devagar…”

Demais, que tipo de livro?

James: “É como um livro de ficção para jovens.”

Isso é muito bom.

Tristan: “Gravadora.”

A gravadora… na verdade estivemos com a The Tide no #ChartShowChat.

Brad: “Como foi?”

Bem legal, os meninos são bem doces. Acho que um deles teve que voltar para casa, então estivemos com 3 deles, mas que meninos… bem legais e um deles tinha um negócio do Pokémon na perna.

James: “É bem legal, queria fazer alguma coisa parecida… Tem sido legal ver a The Tide se desenvolvendo como compositores também. Na primeira vez que nos conhecemos eles estavam fazendo músicas em um quarto e agora eles estão fazendo singles, o que é incrível, eles são muito bons ao vivo também.”

Amo que vocês assinam com bandas e que vocês dão oportunidades para bandas. Meninos, bom trabalho, isso é bem legal. Além de música, vamos falar sobre o livro de vocês que se chama “The Vamps: Our Story 100% Official”. Quando adquirirmos uma cópia o que podemos esperar ler que ainda não sabemos sobre vocês? Sinto que ainda não sei muito sobre a The Vamps…

Brad: “Não, você sabe, você sabe, você sabe…”

Ouvi dizer que nada estava fora dos limites.

Brad: “Não, realmente não. Quero dizer, tipo, acho que quando estávamos escrevendo nossa intenção era meio que dar um lado realmente pessoal da The Vamps para os fãs.”

Perfeito e tem muitas fotos e coisas do tipo também?

James: “Sim, fotos de nós bebês também.”

Legal, amo ver fotos de bebês. Vocês aprovaram elas antes delas irem para o livro?

James: “Não, na verdade não.”

Tristan: “Na verdade não, nossos pais mandaram elas.”

Incrível. Meninos, como sempre falar com vocês foi muito divertido. Boa sorte com o novo álbum, amei o novo single como já disse um milhão de vezes, mas antes de terminarmos vamos jogar um jogo bem rápido. Atrás dos seus assentos vocês têm cartões e canetas. Faz 4 anos que vocês estão juntos, então espero que vocês se conheçam muito bem. Tenho algumas perguntas sobre vocês, tudo que vocês têm que fazer é escrever a resposta no cartão e o ganhador vai poder tocar um clipe e vai poder escolher o clipe que quiser.

James: “Legal.”

Connor: “Hm… ok, ok.”

Brad: “Ok.”

James: “Ok, ok.”

Então a primeira pergunta é… escondam seus cartões… quantos anos o Connor tinha quando ele começou a tocar guitarra?

Connor: “Nem eu sei disso.”

James: “Não acho que essa é a idade, mas…”

Brad: “Estou tentando adivinhar, acho que ele sabe a idade que ele tinha…”

Ok, podemos mostrar os cartões?

Brad: “11?”

James: “Escrevi 12.”

Connor: “Coloquei 11.”

Tristan: “Com certeza 12.”

Ok, então… tenho “12” no meu cartão, o que você (Connor) colocou?

Connor: “11, mas pode ser 11 ou 12.”

A segunda pergunta… o que diz na bio do Twitter do Brad?

Brad: “É provavelmente a bio de Twitter mais chata de todos os tempos.”

Ok, prontos para mostrar?

James: “Sim.”

Vamos lá.

Tristan: “Canto na The Vamps… é alguma coisa assim, não é?”

Brad: “É exatamente isso…”

Connor: “Coloquei “shibby, lalala”.”

Tristan: “Ah, é alguma coisa assim…”

Brad: “Esse “i sing and stuff” está na minha bio do Instagram. Não sei se o “shibby” ainda está, mas o “lalalalala” ainda está.”

Isso… Ok, a terceira… durante a turnê quem caiu no palco? no meu cartão tenho o nome de dois membros.

Tristan: “Brad e Connor.”

Brad: “Eu e Connor.”

James: “Condor…”

Connor: “Brad e Connor.”

Perfeito, certo meninos. Quem mostrou a bunda no estádio Wembley?

Brad: “Quem foi…”

Quem foi? Certo, todos vocês mostraram?

Tristan: “Sim, bons tempos…”

Connor: “Até aquele momento nunca tinha mostrado minha bunda para esses caras…”

Não?

Connor: “Escolhi meu momento…”

Como você se sentiu?

Connor: “Foi bom, foi bem bom… foi legal, foi à céu aberto…”

Legal e mais uma pergunta… quem é o membro mais bagunceiro da banda?

Brad: “Acho que isso é subjetivo.”

Tristan: “Eu ou Brad.”

Connor: “Escolhi eu, Tris e Brad.”

James: “Fui no Tris.”

Tenho “James” no meu cartão.

James: “É inegável… sou eu, sou eu…”

Tem alguma coisa acontecendo no meu cérebro e o ganhador é… há um empate entre Brad e entre Connor… bom trabalho, vocês sabem das coisas, então… coletivamente, qual clipe vocês queriam que tocasse?

Brad: “Vamos de Miike Snow – “Genghis Khan”.”

Vamos lá, Miike Snow para vocês dois… meninos, muito obrigada.

Connor: “Obrigado.”

Brad: “Muito obrigado.”