AgendaPróximos eventos

02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul
03.03.15
Categorias: Entrevista; The Vamps

The Vamps concede entrevista ao Digital Spy

Por Paula Sales Compartilhe já em:

The Vamps anunciou sua gravadora autônoma no começo desta semana, onde eles estarão encarregados de caçar novos talentos e trazê-los para suas asas.

Nós conversamos com o grupo sobre que tipo de chefes eles serão, com quem eles gostariam de assinar e sobre o novo álbum.

Confira:

Vocês estavam desapontados por não serem irem ao Brit Awards na quarta-feira?

Connor: Não mesmo, porquê nós fomos a um restaurante turco e foi incrível.
Brad: Eu fiu para Shepherd’s Bush apenas para relaxar um pouco.

Vocês acabaram de anunciar sua própria gravadora. Que tipo de chefes vocês serão?

Tristan: Eu serei o relaxado.
Brad: Eu serei o engraçado.

Tristan: Eu serei o cara com jeans apertados.
Brad: [Risos] “Ele é o nosso chefe? Ele não faz nada, mas usa jeans apertados.”

Tristan: Ternos apertados.
Brad: Constantemente suando.

James: Eu os levaria para a academia todos os dias.
Brad: Você seria o durão.

Connor: “Levante-se, faça uma melodia!”
Brad: Eu achei que você ia dizer sanduíche de atum.

Vocês acham que fará Simon Cowell suar?

Brad: Acho que sim.
Tristan: É engraçado. Nós estamos muito animados sobre The Tide.

O que os fez escolhê-los?

Brad: Eles são muito bons com instrumentos.
Connor: Três de quatro são loiros, eu gosto disso.

Brad: Você não é mais loiro!
Connor: Eu sei, a raiz cresceu! Eu tenho que pintar novamente.
Tristan: Eles são jovens, amáveis e são Americanos, então é algo diferente para nós e será divertido.

O que vocês tem planejado para eles?

Brad: Dominação mundial.
Connor: Nós queremos que eles façam por si próprios no entanto, porquê nós não tínhamos pessoas nos dizendo exatamente o que fazer, nós queremos que eles encontrem seu próprio estilo e escrevam suas próprias músicas. Mas nós iremos levá-los em turnê conosco, escrever algumas músicas, ver o que acontecerá.

Tristan: Ajudá-los um pouco.
Brad: Levá-los para sair.

Tristan: Aproveitar muito!
Brad: Nós faremos a banda crescer, não totalmente, ter momentos divertidos com eles. Será legal, pois eles não são tão mais novos que nós. Nós fazemos isso por três anos, nós podemos ajudá-los.

Vocês estão preocupados que eles se tornem uma competição?

Tristan: Nós não somos parecidos, e também temos um dedo na música que eles irão produzir. Será diferente.
Brad: É um pouco mais…
James: Jay Z.
Brad: Sim, Limp Bizkit. Não, é um pouco mais rock.

Que conselho vocês tem para artistas que querem ser assinados por sua gravadora?

James: Eu acho que fazer uma banda.
Tristan: Obviamente nós esperamos expandir nossa gravadora, mas não procuramos ninguém específico.
Brad: Alguém que pregarmos o olho.

Vocês ficarão mais em bandas?

Brad: Eu acho que bandas… Eu não sei se seríamos bons em administrar girlbands mas uma banda é mais fácil, é mais nosso tópico de música, nós tocamos e produzimos coisas então eu acho que banda é mais nossa praia, mas talvez um artista solo seria legal.

Há alguns artistas que vocês gostariam de roubar para a sua gravadora?

James: Ed Sheeran.
Tristan: AC/DC.
Brad: [Risos] Dá para imaginar? Kwabs. Eu realmente gosto do Kwabs no momento, a voz dele é incrível.

Voltando a época que vocês foram assinados, há algo que vocês mudariam?

Brad: Provavelmente não usaria aquela camisa para o ensaio de “Can We Dance.”
Connor: Provavelmente não teria um corte de cabelo, absolutamente devastador.

Tristan: Eu aprenderia a ser um pouco mais relaxado e me divertir. E ser legal.
Brad: Ir mais devagar também.

Como vai o processo de criação do segundo álbum?

Connor: É um pouco mais R&B.
James: Você pode ser sério por um segundo?

Brad: Tudo que você faz é brincar em entrevistas! [Risos]
James: É semelhante ao primeiro, mas com uma pitada de Avicii e The Police.
Brad: É mais dançável. Será legal e tem um pouco do sentimento de MGMT.

Vocês estiveram presos em alguma composição?

Brad: Nós estamos nos termos de có-escritores. Não temos a ideia completa ou nada pronto, estamos pensando em melodias e escrevendo músicas. Trabalhando com pessoas há dois meses, então nós temos algumas canções.

Connor: Nós estamos tentando fazer algo que ninguém fez antes – escrever sobre garotas.
Brad: Sim e amor também. Não tantas pessoas que se sentem tocadas em músicas românticas. E então algo como “balada.” Estando na balada, no caminho para a balada…
Tristan: Voltando da balada, é como um ciclo.