AgendaPróximos eventos

02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul

Não é de hoje que vemos James usando as mídias sociais para falar sobre assuntos importantes. No último dia 07, foi a vez da rádio britânica LBC postar um vídeo do guitarrista da banda The Vamps falando sobre como pode ser difícil crescer e sobre como é para o homem ter que lidar com os limites e com as definições dos esteriótipos de gênero. Confira o vídeo e a tradução completa abaixo:

“Quero contar para você por que, para mim, crescer não foi fácil. Esteriótipos de gênero restringem todos nós nas regras que infligem nas nossas vidas. Quando estava na escola “garotos não choram” era uma frase que costumava ouvir. Se um garoto se machucasse na hora do recreio a professora ia levantá-lo e ia dizê-lo para “ser um garotão”. Agora isso pode soar como nada, mas falar desde pequenos para escondermos nossas emoções pode ter um grande impacto em como nos apresentamos. Se quando tinha 7 anos você tivesse me perguntado o que queria ser quando crescesse ia ter te falado “um soldado”. Todos os homens que admirava na televisão e todos os brinquedos que brincava eram valentes e eram heróis musculosos que podiam ignorar o ferimento de uma bala. Essa imagem de um homem muito idolatrada é inatingível e é improdutiva. Na escola era magro, tinha piercings e tinha cabelo comprido. Era diferente. Minha paixão era música, o que era um conceito alienado para muitos dos meus colegas. Nas minhas composições era aberto emocionalmente e era rejeitado por um grupo de garotos que achavam que devia ser resistente e insensível. Atitudes como essa podiam ter me feito parar de buscar meus sonhos, mas sou sortudo. O suicídio ainda é o maior assassino de homens abaixo de 45 anos e é 4 vezes mais propenso a acabar com a vida deles que com a vida das mulheres. Não há uma solução simples para reduzir esse problema crescente, mas acho que temos que começar conversando, porque homens e mulheres finalmente estão iguais nas emoções. Os homens precisam parar de enterrar suas cabeças na areia e precisam saber que podem se abrir, porque realmente está ok em não estar ok.”