AgendaPróximos eventos

17/09 São Paulo – Brasil
20/09 Buenos Aires – Argentina
23/09 Auckland – Nova Zelândia
26/09 Brisbane – Austrália
27/09 Sydney – Austrália
30/09 Melbourne – Austrália
03/10 Perth – Austrália
10/10 Tóquio – Japão
11/10 Tóquio – Japão
13/10 Osaka – Japão
15/10 Taipei – Taiwan
02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul
18.01.15
Categorias: Tristan

Como Tristan Evans passou do zero a herói do mundo em cinco anos

Por Paula Sales Compartilhe já em:

Em Janeiro de 2010 a Gazeta publicou um relatório sobre Tristan Evans, da Escola de Blundell. Aos 16, Tristan ficou entre os 10 melhores jovens bateristas da Grã-Bretanha após o sucesso em uma competição nacional.

Na época Evans disse à Gazeta que esperava tocar em uma banda de sucesso, e apenas cinco anos mais tarde, ele é um quarto da banda de sucesso global The Vamps.

The Vamps atingiu o grande momento em 2012, depois de covers que foram enviados ao site de compartilhamento de vídeos, YouTube, os levando a ser comparados a boyband One Direction e lhes garantindo um contrato de gravação com a Mercury Records.

O grupo passou a apoiar a banda de pop rock McFly em turnê em 2013 e lançou seu primeiro single “Can We Dance” no final daquele ano, que estreou em segundo lugar nas paradas do Reino Unido.

Agora, com milhões de fãs em todo o mundo e mais de um milhão de seguidores no site de mídia social Twitter, olhamos para trás, quando a concorrência rufava no início de 2010, e descobrimos que foi apenas o início da carreira musical de Tristan Evans.

Confira a matéria feita em 2010:

Um aluno da Escola de Blundell de Tiverton, Tristan Evans, que mora em Westwood, Broadclyst, toca bateria desde que ele tinha apenas sete anos e foi o basculante ou percussionista principal de uma banda aos nove.

Tristan agora está entre os 10 melhores jovens bateristas na Grã-Bretanha depois de dar um desempenho energético e poderoso a competição do ano “Jovem baterista nacional”realizada no Centro de Spa Royal Leamington.

Ele completou um solo de bateria de dois minutos para a concorrência, bem como realizou uma improvisação de uma faixa que só fora fornecida na manhã do evento.

Tristan disse:

“Eu definitivamente terminei entre os cinco melhores bateristas júnior do Reino Unido e cerca de 2 ou 3 da Inglaterra. Foi uma experiência muito grande só de estar lá – os bateristas do Deep Purple, Pink Floyd, Robbie Williams, Leona Lewis, The Killers e Placebo estavam presentes como juízes. Eles autografaram baterias e responderam perguntas sobre a indústria da música.”

Tristan está agora entrando em uma outra competição – ao vivo e sem assinatura – e foi convidado para uma experiência por Mike Dolbear, criador da competição.

Ele espera tornar-se um músico de sessão conhecido e e tocar em uma banda de sucesso.

Fonte: The Gazette UK