AgendaPróximos eventos

02/02 Cape Town – África do Sul
03/02 Johannesburg – África do Sul
16.10.17
Categorias: Bradley; Entrevista; The Vamps

Brad fala sobre ‘Personal’ para o CelebMix

Por The Vamps Brasil Compartilhe já em:

É uma época intensa para o The Vamps que no momento anunciou sua turnê britânica e europeia, a ‘Night & Day Tour’. Junto à isso, o lançamento do novo single ‘Personal’, com participação da norte-americana Maggie Lindemann.

Antes de subirem ao palco em Tóquio, conversamos com o vocalista Brad Simpson sobre o novo álbum e canção.

Oi, Brad, atualmente você está turnê em Tóquio. Como essa parte [da tour] tem sido para você?

Tem sido incrível, obrigado. Tem sido realmente boa. Eu acho que é a quarta vez em Tóquio, o que é louco que conseguimos vir tantas vezes, mas é ótimo. Os fãs são tão amáveis, respeitáveis e educados. É sempre bom vir e vê-los e tocar um novo álbum.

Tem sido uma semana muito agitada para vocês com o anúncio da turnê no UK e Europa. O que os fãs podem esperar da Night & Day Tour?

Músicas do próximo álbum, a Day Edition do Night & Day, o que é legal por que podemos mostrar um pouco antes de ser lançado. Podem esperar muito suor comigo correndo pelo palco e os outros três garotos. Apenas maior, melhor, mais canções, novas canções. Estamos sempre tentando construir turnês e fazê-las animadas, acho que iremos passar um tempo e fazer dela a melhor.

Você mencionou a versão Day no Night & Day, como está indo o processo de criação?

Há provavelmente umas três canções restantes para escrever. Então nós iremos nos trancar numa cabine e escrever quatro canções em algum momento no fim deste ano. O que é realmente animador, é uma coisa boa que ainda temos espaço no álbum para buscar inspiração desta viajem, por exemplo. Pegar ideias que vem desses lugares e ir a para longe trabalhar nisso.

Personal será lançada na Sexta-Feira, com participação de Maggie Lindemann. Pode nos falar um pouco sobre a canção?

Então, a faixa se chama ‘Personal’, e nós fomos perguntados sobre isso mas não acho que tenhamos respostas preparadas, pois não sabemos como descrevê-la. Não ouvimos nada que soe como isso, e não é nada comparado ao que fizemos antes. É baseada na letra, elementos rítmicos e melódicos. É tudo em volta dos vocais e, como, progride ao redor da música.

É um dueto com Maggie por que você vê os dois lados da história, cuja se trata de um cara que acredita que a garota pelo qual está apaixonado, pode ter coisa melhor do que tem no momento. Dito isso, ele acha que ela deveria estar com ele. A letra diz: “Não leve para o lado pessoal, mas pessoalmente, eu acho que você estaria melhor com alguém como eu”, é o desenvolver disso.

Nos diga um momento especial de estar no The Vamps nestes cinco anos.

A primeira parte do álbum foi número um, o que é insano. Eu acho que momentos como esse são humanizadores e muito como ‘você não fez um álbum para isso’. Não é a razão [para qual você faz um álbum], mas é bem legal. É ótimo quando acontece e é um crédito aos fãs que fizeram isso com nosso terceiro disco. Quero dizer, os primeiros dois foram muito bem nos charts, mas para nós, o terceiro, e os fãs colocarem tanto trabalho nos apoiando, é incrível.

Você mencionou ‘Personal’ como a primeira faixa da Day Edition, mas o que os fãs podem esperar que será diferente da Night Edition?

Provavelmente será lançado no verão de 2018, é um álbum nessa pegada. De início seria lançado em Dezembro, mas tivemos uma conversa e percebemos que não faria sentido para esse mês; queríamos segura-lo um pouco mais. Eu acho que essa é a maior diferença entre eles. O Night tem uma pegada mais sultry, o que foi exatamente o que queríamos fazer para que fizesse parte do conceito noite e dia. A segunda parte é animada, feliz, brilhante.

Você sente que o CD chegar ao topo das paradas mudou alguma coisa como banda?

Acho que não, não muito. Foi bacana ver uma multidão de pessoas nos parabenizando e reconhecendo o trabalho que colocamos em cima dele, mas é uma vantagem. Um bônus. É uma gratificação muito legal por um trabalho que você fez. Mas não é algo que levamos tão a sério, ao mesmo tempo levamos. Não afeta como você faz música, você não a faz para estar nas paradas.

Você não escreve um álbum com um número um em sua mente. Você o cria por que é uma expressão dos seus sentimentos, você o faz pelos fãs que apoiam sua música. Não mudou muito, é um sentimento muito humilde.

Agora algo um pouco diferente, de todas as suas composições, qual a sua favorita ou mais relacionável?

É… pergunta difícil! Há uma música no próximo álbum chamada ‘Hair Too Long’ (cabelo muito grande), e eu escrevi a letra: “Eu vou sair…deixar meu cabelo crescer, cantar sua música menos favorita do topo dos meus pulmões.”

A música é sobre ser um pouco vingativo, não de um modo ruim, mas algo como ‘estou muito irritado que perdi essa garota, então vou fazer tudo que ela não gostava. Por que eu arruinei as coisas, por que sou meio idiota.’

É como se você estivesse fazendo todas essas coisas, e você está como ‘vou fazê-las agora por que você me irritou.’ Um pouco infantil, mas eu realmente gosto!

E por fim, você tem algo para dizer aos seus fãs lendo isso?

Obrigado pelo apoio, por serem incríveis. Espero que seu dia esteja indo bem. Esperançosamente iremos visitar onde você estiver em breve e tocar para vocês. Te amamos!